E-MAIL:    SENHA: 




E-mail
Senha
 
Cadastre-se!
IBEDESS > NOTÍCIAS > IBEDESS

Envie para um amigo  |  Imprimir  |  Voltar
Enfrentando o Desafio: Resultados de um Cartão de Pontos sobre o Desempenho do Sistema Local de Saúde 2012

Comissão do Commonwealth Fund por um Sistema de Saúde com um Alto Desempenho - Março de 2012


Enfrentando o Desafio: Resultados de um Cartão de Pontos sobre o Desempenho do Sistema Local de Saúde 2012


Sumário Executivo



Independentemente de onde vive, a população dos Estados Unidos merece as mesmas oportunidades para desfrutar uma vida longa, saudável e produtiva.  Alcançar esta meta significa que todas as comunidades devem receber o melhor dos seus sistemas locais de saúde.  Mas este novo Cartão de Pontos sobre o Desempenho Sistema Local de Saúde mostra que o lugar onde alguém vive tem um grande impacto sobre a capacidade de acesso à atenção de saúde e a qualidade dos serviços recebidos.  Comparando as 306 áreas de atenção local de saúde nos EUA, conhecidas como regiões de referência hospitalar, o relatório encontra amplas variações nos principais indicadores de desempenho do sistema de saúde.  O acesso aos serviços, assim como a qualidade, os custos e os resultados dos mesmos variam significativamente de uma comunidade local para outra, tanto dentro de grandes estados como entre estados.  Há sempre uma variação de duas a três vezes nos principais indicadores entre comunidades mais ou menos avançadas.  As 30 localidades com melhor desempenho incluem comunidades do Nordeste e Centro-Oeste, além de umas poucas na Costa Oeste – muitas vezes atuando bem segundo múltiplos indicadores e dimensões da atenção.  Apesar de existirem alguns bolsões de excelência, há grandes oportunidades para melhorar o sistema de saúde em todas as comunidades, até mesmo nas melhores. 
O Cartão de Pontos pretende oferecer às comunidades dados comparativos para avaliar o desempenho de seus sistemas de saúde, estabelecer prioridades para a sua melhoria e fixar metas dos resultados a serem alcançados.  Ele se baseia em 43 indicadores cobrindo quatro dimensões de desempenho do sistema de saúde, incluindo: acesso, qualidade, custos e uso potencialmente evitável de hospital, assim como resultados de saúde.  Os indicadores foram definidos com base nos dados disponíveis mais recentes, geralmente entre 2008–2010, representando desta forma uma linha de base para avaliar o impacto de reformas nacionais.  Para cada indicador, o Cartão de Pontos avalia localidades e compara o desempenho das mesmas com os níveis de referência alcançados pelas comunidades mais avançadas nacionalmente.  A classificação total do desempenho depende portanto de indicadores agregados segundo aquelas dimensões.  (Ver no Anexo A3 a lista completa de áreas organizadas por estado, com um sumário de classes de desempenho e desempenho relativo por dimensão.)  
Os dados mostram que o desempenho do sistema local de saúde se relaciona em todas as dimensões com um melhor acesso à atenção associado com uma  alta qualidade e melhores resultados.  
Esta inter-conexão enfatiza a necessidade de reformas de planos e seguros de saúde, formas de remuneração e prestação de serviços, para melhorar práticas e resultados da atenção, reduzindo ao mesmo tempo o aumento do seu custo.  Olhando para o futuro, a Lei de Proteção do Paciente e Atenção Acessível de 2010 (Lei da Atenção Acessível) oferece aos sistemas de saúde estaduais e locais novos recursos e mais autoridade para este enfoque sistêmico, com o potencial para estimular e apoiar a atenção e as inovações do sistema público de saúde.  Os sucessos fixando metas e tomando medidas para o nível local vão ultimamente depender das comunidades e dos prestadores - apoiados por uma forte liderança e colaboração – fixando metas e tomando medidas para alcançar as mesmas.
Enquanto o país continua a se recuperar da última recessão econômica e os estados enfrentam com frequência severas restriçoes orçamentárias, o ônus do aumento dos custos da atenção à saúde afeta cada vez mais as economias  locais e as famílias.  Há uma necessidade premente de apoiar esforços locais para obter um melhor valor do sistema de saúde, salvaguardando ao mesmo tempo o acesso e o custo razoável. Não por acaso, o Cartão de Pontos mostra  que comunidades muito pobres enfrentam problemas no acesso a serviços de qualidade mais severos do que aqueles enfrentados por comunidades de alta renda.  A focalização estratégica de recursos para as comunidades mais pobres será certamente necessária para reduzir barreiras ao progresso e melhorar a saúde das populações mais vulneráveis     
Destaques e Principais Conclusões
• O lugar onde as pessoas vivem faz diferença influenciando sua capacidade de acesso à atenção e a qualidade dos serviços que recebem.
• Existem poderosos padrões geográficos de desempenho, embora variando conforme a dimensão.
• Para muitos indicadores de desempenho, há uma dramática variação entre áreas locais do mesmo estado.
• O gasto entre populações cobertas por planos e seguros privados ou pelo Medicare varia consideravelmente nas localidades.
• Localidades líderes geralmente atuam bem de forma consistente segundo múltiplos indicadores das dimensões de desempenho.
• Várias dimensões de desempenho do sistema de saúde são inter-relacionadas.
• O desempenho do siustema de saúde nas maiores cidades do país é altamente variável.
• Fatores sócio-econômicos, particularmente altas taxas de pobreza, são associados com alguns, mas não todos aspectos do desempenho do sistema de saúde.  Há variações significativas em localidades tanto de baixo como de alto níveis de pobreza.  
• Existem possibilidade de melhorias em todas as localidades.
Referência                                                                                                         The Commonwealth Fund Commission on a High Performance Health System, Rising to the Challenge: Results from a Scorecard on Local Health Performance, 2012, The Commonwealth Fund, March 2012. http://www.commonwealthfund.org/Publications/Fund-Reports/2012/Mar/Local-Scorecard.aspx


Tradução/Redação: Cesar Vieira - Consultor Técnico do IBEDESS